BUSCAR
Twitter
Twitter
Instagram
Facebook

Notícias

MÊS DA MULHER
02/03/2015

Há anos o dia 8 de março foi institucionalizado como o Dia Internacional da Mulher. A data é hoje um marco em prol da mobilização para a conquista de direitos e para as discussões acerca da violência de gênero e da discriminação. Na Literatura, muitas mulheres tiveram papel fundamental para a emancipação feminina e para os questionamentos que cercam a mulher moderna. Algumas dessas importantes figuras serão representadas na programação da Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura, por meio de uma série de atividades como saraus, mesa de debates e cursos. O Espaço está aberto para promover a discussão. Venha participar!

 

DIA DA MULHER

domingo, 8 de março, a partir das 11h

 

11h

O MUNDO NO BLACK POWER DE TAYÓ

com: Kiusam de Oliveira e o percussionista Paulo Silva

 

Temos acompanhado o aumento de práticas racistas e sexistas, como o caso de professoras e diretoras de escolas que proibiram a entrada de crianças negras com o penteado conhecido como black power. Torna-se fundamental discutirmos as questões voltadas à educação das relações étnico-raciais. E se podemos fazer isso de forma lúdica, melhor ainda. Vamos recontar a história do livro O mundo no black power de Tayó, e logo em seguida acontecerá um bate-papo sobre discriminação, preconceito, racismo, estética e beleza negra, respeito e valorização humana.

 

Kiusam de Oliveira é artista multimídia, ativista do movimento negro e feminista, autora dos livros Omo-Oba: histórias de princesas (Mazza, 2009), O mundo no black power de Tayó (Peirópolis, 2013), O mar que banha a ilha de Goré (Peirópolis, no prelo) e Omo-Oba: histórias de príncipes (Global, no prelo), além de contadora de histórias, doutora em Educação e mestre em Psicologia pela Universidade de São Paulo. Especialista na temática das relações étnico-raciais, participa de conferências, congressos e simpósios. Atua também como bailarina, coreógrafa e professora de danças afro-brasileiras.

 

15h

EXERCÍCIOS DE LIBERDADE

com: Circular de Poesia Livre

 

Escrever e recitar literatura de temática feminista tem como finalidade a discussão que problematiza questões relativas a comportamento, gênero, diversidade sexual, desigualdade e opressões. O coletivo Circular de Poesia Livre traz o debate crítico para o campo da literatura, bem como incentiva a produção literária e sua prática pública em recitais e saraus. A arte tem o papel facilitador do discurso em questões de cunho “delicado e/ou problemático”, mas as práticas resgatam a poesia, tão marginalizada em nossa sociedade, para o cotidiano. Assim, fazer poesia feminista pode significar um exercício de liberdade.

 

Circular de Poesia Livre é um coletivo de mulheres feministas que estuda, discute, cria e dissemina arte e literatura sobre gênero, sexualidade e sexo.

 

SARAUS E RECITAIS

 

TERRA VERMELHA: O DIÁLOGO COM O UNIVERSO FEMININO

sábado, 7 de março, às 19h

com: Aline Binns, Carol Araujo, Juliana Bernardo e Georgia Augusta Martins

 

Tessitura entre poesias, cantos, olhares, projeções, contos, questionamentos, fotografia e sons tingidos de vermelho. O grupo de quatro artistas mulheres faz aqui o convite sensível à participação: território aberto a todos que desejem apresentar seus trabalhos em roda sobre essa temática. Útero, terra, sangue, sexualidade, semente, força, flores e frutos nessa manifestação do ser. Traga seu olhar, sua arte, ou apenas venha participar com a gente!

 

SARAU CHAMA POÉTICA – PALAVRA DE MULHER

direção: Fernanda de Almeida Prado

com: Grupo Poema Novo

participação especial: Flora Figueiredo

sábado, 18 de abril, às 19h

 

Apresentação literomusical que abordará o universo feminino de maneira delicada, bem como a vida, a felicidade, o amor e a beleza, com base na leitura de poemas de diversas escritoras.

 

 

SARAU DO PI: LITERATURA FEMININA CONTEMPORÂNEA

com: Pâmella Cruz, Priscilla Toscano, Natalia Vianna, Chai Rodrigues, Mari Sanhudo, Talita Mochiute, Jean Carlo Cunha e Emanuela Araújo

 

1ª EDIÇÃO

sábado, 28 de março, às 19h

 

Proposta do Coletivo PI, que une literatura feminina brasileira e apresentações artísticas, a primeira edição será sobre poesia e crônica, entrelaçando as leituras com músicas, performances e produções audiovisuais. O primeiro sarau contará com a literatura de Lilian Aquino, peças de compositoras interpretadas pela pianista Paula Castiglione e a exibição do documentário Entre saltos, que trata das questões do feminino na sociedade e na arte. O sarau é aberto à participação de todos!

 

TEATRO

 

CENAS PARA USAR LUVAS

com: Grupo 6dois (Beto Belinatti, Cadu Garcia , Camila Flora, Diego Avelino, Edson Thiago, Heitor Gomes, Joyce Souza, Mário Spaziani, Murillo Marques, Nathália Alfieri e Renata Bruel)

sextas-feiras, 6, 13, 20 e 27 de março, às 20h

 

Cenas para usar luvas é uma peça composta por dez histórias livremente inspiradas na obra de Lygia Fagundes Telles. Cenas curtas trazem à tona os mistérios da solidão, morte, invenção e memória. Com as mãos do imaginário e da ficção o público e os atores são cúmplices no descobrimento de lembranças que poderiam ser guardadas em uma caixa.

 

Faixa etária: 12 anos

 

O Grupo 6dois consolidou-se na pesquisa teatral a partir da formação de seus integrantes como atores pela Escola de Arte Dramática (EAD) da Universidade de São Paulo (USP), em 2014. O grupo já passou por diversos processos criativos com diretores consagrados, tendo como base textos literários de grandes autores como Cecília Meireles e os Irmãos Grimm e textos dramáticos de Shakespeare e Brecht, entre outros. Em seu mais recente trabalho o grupo mergulha nas obras-primas da escritora brasileira Lygia Fagundes Telles.

 

 

PROGRAMAÇÃO LÚDICA E EXPERIMENTAÇÕES

 

OFICINA DE PERCUSSÃO PARA MENINAS (DE 4 A 10 ANOS)

com: Fernanda Terra

domingo, 15 de março, às 15h

 

Vamos criar instrumentos artesanais (surdo, chocalhos, pau de chuva, tamborim, maraca e kabulete) utilizando materiais acessíveis e sucata, com a ideia de incentivar a criatividade, a musicalização e o ritmo para meninas. Elas vão participar de todo o processo de produção, desde a escolha dos instrumentos e dos materiais a serem usados, até a descoberta do som que podemos produzir, terminando com um batuque coletivo.

 

Fernanda Terra é baterista há 23 anos, dá aulas de bateria há quatro e passou por diversas bandas do underground paulistano. Hoje toca na banda Extermina. Já fez oficinas de bateria para o Lady Fest São Paulo e o Festival Feminista de Salvador, e produziu uma banda no Girls Rock Band em Sorocaba. Mantém uma coluna mensal na Tom Tom Magazine (EUA).

 

 

ENCONTRO LITERATURA NO FEMININO

com: Marcia Tiburi e Verônica Stigger

mediação: Anelise Csapo

quinta-feira, 12 de março, às 19h30

 

As escritoras Marcia Tiburi e Veronica Stigger conversam sobre o alcance, a importância e as limitações da questão do gênero na literatura, a partir de suas experiências autorais e de reflexão sobre literatura e arte. Existe uma voz literária feminina, ou trata-se de uma construção histórica a ser refutada?

 

Marcia Tiburi é escritora e ensaísta, autora de muitos livros sobre filosofia, cultura e de ficção, como Filosofia pop e Era meu esse rosto.

Veronica Stigger é escritora, crítica e curadora de arte, autora de Os anões e Opisanie Swiata, entre outros.

 

 


CASA DAS ROSAS
ESPAÇO HAROLDO DE CAMPOS DE POESIA E LITERATURA
+55 (11) 3285.6986 | 3288.9447 contato@casadasrosas.org.br
Av. Paulista, 37 Bela Vista CEP 01311-902 São Paulo Brasil
HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DO MUSEU
Quarta a sábado, das 12h às 16h
(Passível de alteração, de acordo com a programação).
Governo do Estado de São Paulo
TRABALHE CONOSCO COMPRAS E CONTRATAÇÕES RELATÓRICO DE ATIVIDADES CONTRATO E GESTÃO SECRETARIA DA CULTURA OUVIDORIA